Archive for dezembro \22\UTC 2010

Antonio Anastasia recebe representantes das Centrais Sindicais de Minas

dezembro 22, 2010

Foto Omar Freire

O governador Antonio Anastasia recebeu, nesta quarta-feira (22/12), no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, representantes de Centrais Sindicais de Minas Gerais.

De acordo com o presidente da Nova Central Sindical dos Trabalhadores de Minas Gerais (NCST-MG), Antônio da Costa Miranda, as entidades de classe desejam a aproximação entre o Movimento Sindical e o Governo do Estado. Estiveram presentes também representantes da União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Força Sindical.

Fonte: Agência Minas

Governo Anastasia inicia última etapa das obras de modernização do Mineirão

dezembro 21, 2010

Foto Omar Freire / Imprensa MG

O governador Antonio Anastasia autorizou, nesta terça-feira (21/12), início da terceira e última etapa das obras de modernização do estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão. Desde janeiro deste ano, o estádio está sendo adequado aos padrões exigidos pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) para sediar os jogos da Copa das Confederações em 2013 e da Copa do Mundo de 2014. A conclusão das obras está prevista para o final de 2012, dentro do prazo previsto no cronograma inicial.

A última etapa é a mais complexa e prevê três importantes obras: cobertura adicional das arquibancadas; construção de uma esplanada de 70 mil metros quadrados no entorno do Mineirão, com área reservada para estacionamento coberto, restaurantes e lojas de serviço; e passarela ligando o Mineirão ao Mineirinho, que durante a Copa do Mundo funcionará como centro de apoio de mídia.

O governador ressaltou que as duas primeiras etapas cumpriram integralmente o cronograma definido com a Fifa. Ele disse que todos os esforços estão sendo feitos para que o novo Mineirão seja entregue à população em dezembro de 2012, como previsto no projeto inicial.

“Agora é a grande obra, a reconstrução do Mineirão. Na realidade, vamos fazer as adaptações no prédio, para adequá-lo aos cadernos da Fifa, aqueles encargos previstos, não só no que se refere a acesso à esplanada que será construída, a completa modificação das bilheterias e detalhamento do projeto que já foi bem conhecido, que vai significar um estádio com muito mais conforto, muito mais segurança e também permitindo a sua utilidade muito maior, além dos jogos de futebol, para outros eventos de lazer e cultura”, disse Anastasia.

Gestão compartilhada
Para essa etapa decisiva das obras, o Governo de Minas adotou o modelo de gestão compartilhada. Neste modelo, o Estado não investirá recursos públicos diretamente nas obras da terceira etapa. O investimento estimado do consórcio para obras de modernização será de R$ 743,4 milhões. Parte dos recursos, num total de R$ 400 milhões, será disponibilizada pelo BNDES, por meio de linha de crédito especial concedido às 12 cidades sedes da Copa de 2014.

O parceiro privado do governo mineiro será o Consórcio Minas Arena, formado pelas empresas Construcap S.A. Indústria e Comércio, Egesa Engenharia S.A. e Hap Engenharia Ltda, vencedoras da licitação. Sendo assim, a administração do Mineirão pelos próximos 25 anos será de responsabilidade da iniciativa privada, que poderá explorá-lo comercialmente neste período, com acompanhamento e fiscalização do Estado.

Já o reembolso dos recursos investidos no Mineirão à iniciativa privada se dará pela rentabilidade da operação do empreendimento, com complementação por parte do Estado em parcelas mensais, ao longo de 25 anos após a entrega das obras da terceira etapa. O valor máximo da contraprestação variável a ser repassada pelo Estado ao Consórcio Minas Arena será de R$ 3,7 milhões/mês, valor 7,5% inferior ao teto de R$ 4 milhões estimado no edital de licitação.

“O mais importante é que o Estado não gastará nenhum centavo em 2011 e 2012. E só irá começar a pagar a obra a partir de 2013. E, de fato, não paga a obra. Paga o serviço disponibilizado, ou seja, paga a operação e manutenção do estádio por 25 anos, em prestações anuais. Elas são mensais, mas haverá sempre um reajuste anual, por isso que, no fundo, estamos pagando 25 prestações anuais pelo serviço”, explicou o coordenador executivo do Programa Estado para Resultados, Tadeu Barreto.

Referência de modernidade
Para o governador Antonio Anastasia, o novo Mineirão será referência de modernidade para o país sob o ponto de vista da obra física que está sendo realizada e também pelo modelo inovador de gestão.

“O novo Mineirão que vai significar não só um novo estádio completamente diferente sob o ponto de vista físico, mas também uma gestão inovadora que vai permitir aos mineiros e aos brasileiros que venham aqui muito mais conforto e uma forma mais adequada de termos um estádio bem administrado entre os clubes, as empresas e o Governo”, afirmou o governador.

Indicadores de qualidade
Para garantir excelência na prestação de serviços na gestão compartilhada, foram estabelecidos em contrato indicadores de qualidade que o Consórcio Minas Arena terá que cumprir. Será realizado acompanhamento permanente para garantir o nível de prestação de serviço, como grau de satisfação dos torcedores e dos clubes de futebol; qualidade da manutenção da infraestrutura; limpeza das instalações, inclusive banheiros, satisfação dos usuários (torcedores, imprensa, clubes), entre outros.

Caso o consórcio não atinja os indicadores estabelecidos, o Estado poderá impor penalidades às empresas que formam o consórcio, reduzindo a margem de receita e até mesmo interrompendo a concessão, assumindo integralmente a gestão do estádio.

Modelo sustentável
Com a modernização, o Mineirão será transformado numa arena multiuso, assegurando a sustentabilidade do estádio, gerando novas oportunidades e promovendo o aumento de rendimentos para os clubes de futebol mineiros e a melhoria da qualidade dos serviços oferecidos ao torcedor e outros frequentadores do estádio.

“Teremos um estádio que, além de ser o estádio mais moderno do Brasil para sediar jogos de futebol, que é a sua principal finalidade, vamos também ter ali palco de grandes eventos culturais e esportivos. E a gestão compartilhada vai significar mais eficiência, melhores resultados, mais conforto e segurança para os usuários”, afirmou Anastasia.

Segundo o arquiteto responsável pelo projeto de modernização, Gustavo Penna, o Mineirão será um dos estádios mais modernos do país e do mundo. Ele disse que a ideia é transformar o Mineirão em um palco permanente de atividades múltiplas, capaz de atrair pessoas de interesses e de faixa etária diversas.

“Nós estudamos tudo que há de mais contemporâneo no mundo. Não estamos atrás de nenhum estádio da Alemanha, África do Sul ou de qualquer outro lugar. O Mineirão hoje é só para o futebol. O que a gente pensou? Incluir outros públicos, um estádio que incluísse a família, os idosos, as crianças. O nosso trabalho foi um trabalho de acessibilidade universal. Nós queremos que seja fácil chegar a qualquer ponto do estádio, queremos que o estádio seja incluído no domingo das pessoas e não só na hora do jogo”, afirmou Gustavo Penna.

O que já foi feito
A modernização do Mineirão começou em 25 de janeiro deste ano, com obras de correção nas vigas de sustentação do estádio. As obras, realizadas pela Retech Serviços Especiais de Engenharia Ltda, foram concluídas em junho e custaram R$ 8,2 milhões de recursos do Tesouro do Estado.

Na segunda etapa foi feita demolição de parte da arquibancada inferior e de toda a geral do estádio. Ainda nessa etapa, o gramado foi rebaixado em 3,4 metros para garantir mais proximidade e melhor visibilidade ao torcedor. As obras foram realizadas entre junho e dezembro de 2010, pela Detronic Desmontes e Terraplenagem, com recursos estaduais que somaram R$ 3,5 milhões.

Ouça entrevista do governador Antonio Anastasia
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/audios/download/mjaxmdeymjexmzq0mtzfmjetmtitmtaglsblbnryzxzpc3rhigfuyxn0yxnpysatig1pbmvpcm8ubxaz

Como ficará a parte externa do Mineirão depois da conclusão das obras

Parte interna

Abaixo, confira o que muda no nova Mineirão

(more…)

Golpe contra Minas: leia artigo do deputado Rodrigo de Castro

dezembro 20, 2010

Confira artigo publicado na edição de domingo, dia 19/12, no jornal Estado de Minas sobre a instalação de uma fábrica da Fiat em Pernambuco.

Golpe contra Minas

No apagar das luzes de seu governo, Lula desfere contra a população mineira um golpe que retira R$ 3 bilhões da economia do Estado e, com isso, a capacidade de produzir, em seu território, mais 200 mil veículos e gerar mais 3.500 novos empregos diretos, frustrando a expectativa de novo ciclo de expansão da indústria periférica de componentes.

A manobra, que culminou com a edição da Medida Provisória nº 512, deslocou para Pernambuco, estado onde nasceu, um dos mais promissores investimentos que naturalmente aqui se realizaria: a instalação de uma segunda fábrica do Grupo Fiat.

Para enquadrar-se nos benefícios da MP, a empresa teria que estar estabelecida naquela região, condição que veio a cumprir ao comprar uma empresa fabricante de chicotes elétricos, a TCA, sediada em Jaboatão dos Guararapes (PE). Mas, como fabricação de chicotes elétricos e fabricação de carros são coisas diferentes (uma está para outra assim como buzina está para motor), era necessário também que a MP estabelecesse a possibilidade de mudança, na empresa adquirida, dos seus objetivos institucionais ou alteração dos itens de sua produção. E isso foi inserido na MP, apesar da amplitude de espectro dessas mudanças.

Como se vê, tudo foi maquinado para redirecionar o investimento da Fiat. Pela nova lei, a empresa vai poder compensar parte do pagamento do PIS e Cofins com créditos de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Está-se, portanto, diante de uma situação em que o Governo Federal, mediante utilização de recursos públicos, em vez de promover a integração entre os entes federados, patrocina, aberta e danosamente, a guerra fiscal entre eles. Nada contra Pernambuco, mas não há como deixar de condenar publicamente o patrocínio oficial da concorrência desenfreada pela captação de investimentos, agora capitaneada pela autoridade máxima do país.

A Fiat representa, para Minas, um dos mais importantes pilares de sua economia, pela geração de renda e de empregos que proporciona. Foi ela quem fez de Betim, onde está instalada a sua fábrica de carros, o município de maior arrecadação do Estado. E isso coloca uma reflexão que traz, senão decepções, apreensões muito sérias: como é que um governo, com tantas razões contrárias a motivá-lo, chega a tomar uma decisão como essa!

Primeiro, Minas, com o esforço de gestão de sua equipe de governo e com a força de seu empresariado, tornou-se, depois de oito anos de muita luta, um dos estados da federação que mais vem contribuindo com resultados positivos para o crescimento do PIB brasileiro e da balança comercial. Não há nenhuma razão lógica para qualquer tentativa de desestabilização dessa posição. Qualquer decisão que venha fragilizar a economia de um estado deve ser pesada e decidida depois de uma avaliação rigorosa e sensata de suas conseqüências, o que, neste caso, não aconteceu.

A decisão do presidente também coloca em questionamento a fragilidade da posição dos seus correligionários em Minas, que certamente por ela serão afetados. Trata-se de lideranças do partido de quem se esperava e se exigia a defesa intransigente do Estado ou do município que representam, e que nada fizeram por evitá-la. É o caso, por exemplo, da Prefeita de Betim, onde se situa a fábrica da Fiat. É óbvio que ela não desconhece o tamanho da perda e, assim, ficamos sem saber se ela está mais interessada nos interesses de seu município ou se em ficar bem com o poder central. É obrigação dela protestar contra essa maquinação em desfavor de seus munícipes e contra o povo mineiro.

É hora de também se indagar onde está o ex- prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, indicado para ser ministro do novo governo e justamente nesta área, a do desenvolvimento? Apesar de se tornar a maior autoridade federal deste setor, por que ele simplesmente nada fez para evitar esse grave prejuízo para Minas Gerais? Considerando que na posição estratégica em que estará se constituiria em um canal natural das demandas de seu Estado, há que se perguntar qual é a aposta que o povo mineiro pode fazer nele? Sinceramente, não dá para confiar.

Outro ponto que aguça ainda mais a nossa desconfiança é o fato de que a presidente-sucessora também nada fez para impedir essa manobra contra Minas, logo ela que, na recente campanha, repetiu a exaustão o orgulho de ser mineira… Temos que fazer um esforço enorme para não nos deixar convencer de que, com representantes que se omitem, como esses, na hora de defender os interesses de seus liderados, não precisamos ter inimigos.

Entendo como extremamente injusta a decisão de Lula. Nada tem de errado um presidente influir no desenvolvimento do seu estado natal, desde que, com isso, não imponha perdas a outros estados e à federação como um todo. Aliás, essa é a obrigação de um presidente.

Faço questão de frisar que não tenho nada contra Pernambuco, que goza de minha admiração e estima. O que não posso aceitar é uma discriminação e uma afronta ao meu Estado. A erradicação das desigualdades regionais se faz com a geração criativa de novos negócios para o país, e não via desestruturação das economias de um Estado que, com grande esforço de gestão, espírito de parceria e muito trabalho de seus empreendedores, vêm conseguindo gerar divisas e posições positivas para o PIB e balança de pagamentos.

Sob o manto populista de proteção do Nordeste, Lula não hesitou, de maneira irresponsável, em demonstrar o seu desapreço por Minas Gerais. Usando as metáforas sobre o futebol de que o presidente tanto gosta, é como se o juiz da partida vestisse a camisa de um dos times e, sem nenhum constrangimento, fizesse um gol de mão nos descontos, com o tempo regulamentar totalmente esgotado. Se dispuser a ouvir a arquibancanda agora, para não dizer depois que não sabia, Lula certamente sentiria os protestos da torcida que tanto o apoiou nesses anos e que agora, no fim do campeonato, vai impor a ele o cartão vermelho, que merecem aqueles que burlam as regras e dão caneladas.

(*) Rodrigo de Castro, 39 anos, é deputado federal pelo PSDB/MG

Anastasia se reúne com bancada do PR

dezembro 20, 2010

Foto Omar Freire / Imprensa MG

O governador Antonio Anastasia recebeu nesta segunda-feira, dia 20, no Palácio Tiradentes, a bancada do PR. Entre atuais deputados e eleitos, compareceram ao encontro o atual presidente do partido, Aracely de Paula, e os parlamentares Bilac Pinto, José Santana, Lincoln Portela, Edmar Moreira, Aelton Freitas e Bernardo Santana. O secretário de Estado de Governo, Danilo de Castro, também participou da reunião.

Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia é diplomado e reitera compromisso com Minas Gerais

dezembro 17, 2010

Foto Omar Freire / Imprensa MG

O governador Antonio Anastasia (PSDB) e o vice-governador eleito, Alberto Pinto Coelho (PP),  foram diplomados pela Justiça Eleitoral de Minas Gerais, nesta sexta-feira, dia 17, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, para o mandato 2011/2014 à frente do Governo do Estado.

Anastasia foi reeleito governador com 6.275.520 votos (62,71% dos votos válidos). Durante a solenidade, os senadores eleitos, Aécio Neves (PSDB) e Itamar Franco (PPS), seus suplentes, os 77 deputados estaduais eleitos e os 53 deputados federais eleitos também foram diplomados pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), desembargador Kildare Carvalho. Do PSDB, além do senador  Aécio Neves, foram diplomados 13 deputados estaduais e oito federais. Confira relação:

Deputados federais:

– Carlaile Pedrosa

– Domingos Sávio

– Eduardo Azeredo

– Eduardo Barbosa

– Marcus Pestana

– Narcio Rodrigues

– Paulo Abi-Ackel

– Rodrigo de Castro

Deputados estaduais:

– Bonifácio Mourão

– Carlos Mosconi

– Célio Moreira

– Dalmo Ribeiro

– Dinis Pinheiro

– João Leite

– Lafayette Andrada

– Leonardo Moreira

– Luiz Henrique

– Luiz Humberto Carneiro

– Mauri Torres

– Rômulo Viegas

– Zé Maia

Pronunciamento

Em seu pronunciamento, o governador Antonio Aastasia afirmou que cumprirá os compromissos assumidos com os mineiros durante o período eleitoral. Ele ressaltou que cabe a todos os diplomados a busca pela construção de uma Minas Gerais mais justa e solidária.

“Desejo que, legitimados pela força insubstituível do voto direto, estejamos à altura dos nossos valores e responsabilidades, mas também dos anseios, dos sonhos e das esperanças de nossa gente. Agradeço às inúmeras e comoventes manifestações de apreço que tenho recebido e renovo cada um dos compromissos que assumi nas ruas, com os mineiros. Vamos caminhar juntos, compartilhando decisões e responsabilidades. Vamos construir uma Minas mais forte, para ser mais justa. E, mais justa, uma Minas mais fraterna, solidária na busca dos seus sonhos de desenvolvimento. Uma Minas mais igual. Vamos conquistá-la com o trabalho”, disse Antonio Anastasia.

O governador também lembrou da importância histórica de Minas Gerais no cenário político brasileiro, passando por Tiradentes até Juscelino Kubistchek e Tancredo Neves. Para ele, todos os candidatos eleitos devem manter a tradição mineira de defender os ideais de desenvolvimento de Minas que, muitas vezes, inspiram o Brasil.

“Ao recebermos essa nova prerrogativa, renovamos cada um dos grandes compromissos que temos para com Minas e o Brasil. São compromissos que se assemelham, que têm a mesma natureza, porque estão sustentados por um só alicerce de valores. Os ideais de desenvolvimento do Estado estão irremediavelmente inflexionados na ideia de que somos, mais do que síntese, o coração do país. Por isso, temos consciência de que, cada passo que pudermos dar adiante, na direção da conquista da justiça e da equidade, estes também serão percursos vencidos pelo país”, afirmou.

Modelo nacional

Antonio Anastasia citou o modelo de gestão implantado pelo Governo de Minas em 2003 como um dos exemplos de boa governança do Estado que se tornou referência nacional. Conhecido como Choque de Gestão, o modelo promoveu a recuperação das contas de Minas e retomou a sua capacidade de investimento. Anastasia ocupou as secretarias de Estado de Planejamento e Gestão e Segurança Pública e foi vice-governador.

“Se temos o dever de prosseguir avançando com o vigoroso processo de transformações dos últimos anos, estamos orgulhosos e envaidecidos de termos sido alçados à posição paradigmática de modelo da nova gestão pública brasileira. Se tantos reconhecimentos nos gratificam, também redobram nossa responsabilidade”, ressaltou.

Fortalecimento da democracia

O governador Antonio Anastasia também parabenizou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e todos os tribunais regionais pela excelência e lisura exemplar das eleições deste ano. Em todo o Brasil foram eleitos, além da nova presidente da República, 1.059 deputados estaduais, 513 deputados federais, 54 senadores e 27 governadores dos estados e do Distrito Federal e seus vices.

“Uma vez mais, o Brasil deu exemplo à comunidade internacional de competência, celeridade recorde, transparência e segurança inquestionáveis; aplicação de modernas tecnologias e absoluta credibilidade, ao realizar um dos mais extensos processos eleitorais do mundo. Devemos o nosso reconhecimento às autoridades judiciárias, aos servidores que conduziram o pleito e à valorosa participação de milhares de cidadãos, valorizando os princípios da cidadania plena”, destacou.

Ouça o pronunciamento do governador Antonio Anastasia
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/audios/download/mjaxmdeymtcxotiwmzzfmtcxmjewx3byb251bmnpyw1lbnrvx2fuyxn0yxnpyv9kaxbsb21hy2fvlm1wmw

Em seu pronunciamento, o vice-governador eleito Alberto Pinto Coelho afirmou que estará ao lado do governador Antonio Anastasia contribuindo para o desenvolvimento do Estado.“Hoje é um dia de grande significação, consciente das novas responsabilidades. Estando ao lado do governador Antonio Anastasia, que dá provas incontestes de sua capacidade de bem dirigir os destinos de Minas, quero estar contribuindo nas missões que me forem delegadas”, afirmou o atual presidente da Assembleia Legislativa.

Os senadores eleitos Aécio Neves e Itamar Franco. Foto Omar Freire

Confira, abaixo, mais fotos da diplomação

(more…)

Aécio Neves é escolhido pela revista IstoÉ como Brasileiro do Ano na Política

dezembro 17, 2010

O senador eleito pelo PSDB de Minas Gerais, o ex-governador Aécio Neves foi considerado pela revista IstoÉ o Brasileiro do Ano na Política. O prêmio foi entregue na noite da última quarta-feira, dia 15, em São Paulo.

Senador eleito com 7,6 milhões de votos, Aécio Neves fez seu sucessor no governo mineiro – o seu vice Antonio Anastasia, que o substituiu quando se desincompatilizou, em março, para concorrer ao Senado – e, de acordo com a revista, “provoca um processo de renovação no PSDB e desponta como a grande liderança de uma oposição dura, mas qualificada.”

“O Brasil vive um momento positivo, em parte por conta do atual governo e outra dos governos que o antecederam. É uma construção tijolo sobre tijolo. O Brasil não foi descoberto em 2003”, disse Aécio aos jornalistas antes da premiação, que foi realizada no Clube Monte Líbano e organizada para 980 convidados, entre ministros de Estado, governadores, deputados, empresários, artistas e personalidades

De acordo com o senador eleito, momentos decisivos para o Brasil foram tomados em governos anteriores, como a criação do Plano Real e o controle da inflação, além do desenvolvimento da economia. “A Lei de Responsabilidade Fiscal também ajudou muito o nosso País e é preciso trabalhar por ele”, afirmou.

Aécio, que foi deputado federal por 16 anos – os dois últimos como presidente da Câmara dos Deputados, deixou o governo de Minas Gerais após dois mandatos com índices recordes de aprovação.

Confira reportagem da revista IstoÉ sobre Aécio Neves

Eleitos nas últimas eleições serão diplomados nesta 6ª-feira pela Justiça Eleitoral

dezembro 16, 2010

O governador reeleito Antonio Anastasia (PSDB) e o vice-governador eleito, Alberto Pinto Coelho, serão diplomados pela Justiça Eleitoral nesta sexta-feira, dia 17, às 17 horas, no Grande Teatro do Palácio das Artes. Os senadores Aécio Neves (PSDB) e Itamar Franco, os seus suplentes, os 53 deputados federais e 77 deputados estaduais eleitos também serão diplomados. Destes, 13 deputados estaduais e oito federais são do PSDB. Ao todo serão diplomados 138 eleitos no dia 3 de outubro deste ano.

A diplomação dos eleitos é um ato previsto na Legislação Eleitoral. O ato consiste na entrega do diploma aos eleitos, um documento oficial emitido pelos tribunais eleitorais, assinado pelos presidentes das instituições, e que é condição para a posse no próximo ano.A cerimônia desta sexta-feira será presidida pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), desembargador Kildare Carvalho, e contará com a participação de todos os membros da Corte Eleitoral, representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Evento: Diplomação pela Justiça Eleitoral de Minas Gerais do governador Antonio Anastasia e dos parlamentares eleitos em outubro
Local: Palácio das Artes
Data e horário: 17/12 – 17 horas

Fonte: Com informações da Agência Minas

Governador Antonio Anastasia recebe políticos do PRTB e do PMN

dezembro 16, 2010

Antonio Anastasia e a bancada do PRTB. Fotos Omar Freire / Imprensa MG

O governador Antonio Anastasia recebeu, na manhã desta quinta-feira, dia 16, no Palácio Tiradentes, a bancada do PRTB. Além do presidente estadual do partido, Ilton Câmara, compareceram ao encontro com o governador os deputados Jorge André Periquito, Cássio Soares e Fabiano Tolentino. O secretário de Estado de Governo, Danilo de Castro, também participou da reunião.

A seguir, Anastasia se encontrou com políticos mineiros do PMN. Os deputados estaduais Duarte Bechir e Duílio de Castro – eleito para seu primeiro mandato –, além do deputado federal eleito e presidente estadual do partido, Walter Tosta, participaram da reunião. O secretário de Estado de Governo, Danilo de Castro, também esteve presente.

O governador e o secretário Danilo de Castro com políticos do PMN

Fonte: Agência Minas

Governadores do PSDB divulgam agenda de compromissos

dezembro 15, 2010

Foto Michel Rios

Na primeira reunião que fizeram depois de eleitos, nesta quarta-feira, dia 15, os oito governadores do PSDB divulgaram, ao fim do encontro, a Carta de Maceió. Nela, eles reforçaram o compromisso de construir uma ampla agenda nacional de trabalho e discussões.

Este compromisso, segundo o documento, será  focado no desenvolvimento econômico e social e no fortalecimento das relações do partido com a sociedade, com sua base política e partidária, com o Governo federal e com os municípios.

Leia a íntegra do documento:

CARTA DE MACEIÓ

Os governadores eleitos pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), reunidos em Maceió, capital do Estado de Alagoas, em 15 de dezembro de 2010, reafirmam seu compromisso de construir uma ampla agenda nacional de trabalho e discussões.

Um compromisso focado no desenvolvimento econômico e social e no fortalecimento das relações do partido com a sociedade, com sua base política e partidária, com o Governo federal e com os municípios.

Afinal, o PSDB saiu das últimas eleições como uma força política transformadora, com o apoio de mais da metade da população e do PIB brasileiros.

Além do desafio de governar bem oito unidades da federação, é necessário manter a coerência e a qualidade de seu discurso político.

Nesta Carta de Maceió, os governadores eleitos ratificam sua identidade com os valores e princípios fundamentais do PSDB: a consolidação da democracia, a estabilidade econômica, o bem-estar de todos os brasileiros, a ética na política e a liberdade de expressão.

Inspirados por esses objetivos, os governadores do PSDB vão trabalhar juntos para:

Cooperação entre Governos: promover, de forma constante e crescente, a cooperação entre os respectivos governos, aproveitando as experiências de sucesso de cada estado, principalmente, na competente e vitoriosa política de profissionalização da gestão pública;

Relação com o Governo Federal: estabelecer com o Governo federal uma relação altiva de respeito mútuo, com responsabilidade e independência, na busca do entendimento para enfrentar os graves desequilíbrios regionais e sociais;

Pacto Federativo: colaborar de forma crítica e democrática para restabelecer o equilíbrio do pacto federativo,  promovendo: i) a revisão dos mecanismos de transferências voluntárias; ii) o estabelecimento da responsabilidade compartilhada entre União-Estados-Municípios; iii) uma agenda robusta de investimentos necessários ao desenvolvimento;

Segurança Pública: cobrar a participação adequada do Governo federal no financiamento da segurança pública, mediante a transferência de recursos de forma regular e automática;

Fórum dos Governadores: tornar permanente este fórum de governadores do PSDB, para estabelecer um processo dinâmico e duradouro de interação e coordenação das ações, propostas, posicionamento político;

Apoio a Alagoas: por fim, os  governadores do PSDB declaram seu irrestrito apoio à implantação do Estaleiro Eisa em Alagoas, empreendimento fundamental para o combate à pobreza e a redução da desigualdade regional;

Antônio Anastasia – Governador de Minas Gerais

Anchieta Júnior – Governador de Roraima

Beto Richa – Governador do Paraná

Geraldo Alckmin – Governador de São Paulo

Marconi Perillo – Governador de Goiás

Simão Jatene – Governador do Pará

Siqueira Campos – Governador de Tocantins

Teotonio Vilela Filho – Governador de Alagoas

Maceió, 15 de dezembro de 2010

Ouça entrevista do governador Antonio Anastasia

Parte 1
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/audios/download/mjaxmdeymtuxmzm4ntjfmtutmtitmtaglsblbnryzxzpc3rhigfuyxn0yxnpysatig1hy2vpideubxaz
Parte 2
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/audios/download/mjaxmdeymtuxmzqwmdlfmtutmtitmtaglsblbnryzxzpc3rhigfuyxn0yxnpysatig1hy2vpidiubxaz

Confira, abaixo, transcrição da entrevista

(more…)

Pesquisa aponta redução do medo entre os mineiros na área de segurança pública

dezembro 15, 2010

A Pesquisa da Percepção de Medo no Estado de Minas Gerais revela que os mineiros estão sentindo menos medo e confiam mais nas instituições policiais. O estudo mostra que a sensação de medo da população em Minas Gerais caiu de 53,6% em 2008, para 51,2% em 2009, com redução de 4,8%. Já o percentual de confiança na atuação das polícias é de 67,7% em Belo Horizonte, 60,7% na Região Metropolitana da capital, 70,8% nas cidades polo do interior e 67,9% em cidades com até 10 mil habitantes. Os levantamentos foram realizados pelo Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública da Universidade Federal de Minas Gerais (Crisp-UFMG) a pedido da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).

Em Belo Horizonte, a redução no Indicador Geral de Medo foi de 17% (passando de 54% em 2008 para 46,2% em 2009) e na Região Metropolitana de BH de 12,5% (60,3% em 2008 para 53,6% em 2009). Em cidades polo das macrorregiões do Estado (Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros, Patos de Minas, Poços de Caldas, Salinas e Uberlândia), a redução percentual foi de 10,2%. Apenas nas cidades com menos de 10 mil habitantes houve um aumento nesse indicador, da ordem de 14,3%.

O percentual da população de Minas Gerais que sente pouco medo aumentou em 2,4%, passando de 28% em 2008 para 30,4% em 2009. O percentual de pessoas que não sentem medo nenhum se manteve estável, representando 18,4% dos entrevistados.

Leia matéria completa Pesquisa aponta redução do medo entre os mineiros na área de segurança pública