Posts Tagged ‘eleições 2010’

Anastasia e Aécio visitam Santuário de Nossa Senhora da Piedade

novembro 4, 2010

Foto Omar Freire / Imprensa MG

O governador Antonio Anastasia e o senador eleito Aécio Neves participaram, nesta quinta-feira, dia 4, de uma cerimônia religiosa no Santuário de Nossa Senhora da Piedade, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). O governador foi agradecer e pedir uma benção para o seu governo e para todos os mineiros.

“Viemos aqui agradecer, mas também pedir a proteção de Nossa Senhora para os próximos anos para que continuemos governando Minas Gerais com sabedoria, com prudência, com equilíbrio”, disse o governador Antonio Anastasia, em entrevista, após receber a benção no Santuário.

Recebidos pelo padre Nédio Lacerda, reitor do Santuário de Nossa Senhora da Piedade, o governador Antonio Anastasia falou da simbologia de visitar o local. Gesto que se repetiu nos momentos mais importantes da sua administração no Governo de Minas ao lado do senador eleito Aécio Neves.

“Recebemos o reconhecimento do povo mineiro daquilo que foi realizado nos últimos anos pelo governador Aécio Neves, depois no meu mandato, terminando o atual, e recebemos a confiança dos mineiros para os próximos quatro anos”, disse o governador.

Religiosos e turistas acompanharam a passagem dos dois pelo Santuário e assistiram a cerimônia religiosa. O governador Antonio Anastasia e o senador eleito Aécio Neves também se encontraram com o arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, que os cumprimentou pelo gesto de agradecimento e de reverencia a um dos monumentos religiosos e turísticos mais importantes de Minas Gerais.

Ouça entrevista do governador Antonio Anastasia 

Ouça entrevista do senador eleito Aécio Neves

Confira, abaixo, transcrição das entrevistas do governador Antonio Anastasia e do senador eleito Aécio Neves

(more…)

Anúncios

Oposição vai governar 52% do eleitorado a partir do próximo ano

novembro 1, 2010

Em Minas Gerais, o governador Antonio Anastasia foi reeleito com 62,72% dos votos ainda no primeiro turno

Concluída a apuração do segundo turno das eleições, as urnas mostraram neste domingo que os dois principais partidos da oposição – PSDB e DEM – governarão 52% do eleitorado a partir de janeiro do próximo ano, o equivalente a 70 milhões de eleitores. Somados o primeiro e segundo turnos, as duas legendas elegeram juntas dez governadores.

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), comentou os resultados das eleições estaduais. “Além de vencer as eleições estaduais e passarmos a administrar o maior número de eleitores do país, o PSDB saiu mais unido do que nunca dessas eleições”, afirmou. “A partir de amanhã, começamos a trabalhar a partir dessas duas perspectivas. Continuaremos a trabalhar a favor do Brasil, das reformas e investimentos urgentes que os brasileiros reclamam, e fazendo uma oposição firme, construtiva e sem concessões.”

Em primeiro de outubro, Geraldo Alckmin foi eleito para governar pela terceira vez o estado de São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil. Já Antonio Anastasia conquistou a reeleição em Minas Gerais, o segundo maior colégio eleitoral. Beto Richa, no Paraná, e Siqueira Campos, em Tocantins, completam a lista de governadores tucanos eleitos no primeiro turno.

No lado do Democratas, ainda no primeiro turno, Rosalba Ciarlini foi eleita governadora do Rio Grande do Norte e Raimundo Colombo venceu o pleito em Santa Catarina.

Já neste segundo turno, o PSDB disputou eleições em cinco estados e venceu em quatro. Marconi Perillo vai comandar o estado de Goiás pela terceira vez; Tetônio Vilela Filho venceu em Alagoas; Simão Jatene foi eleito governador do Pará; e Anchieta Junior foi reeleito em Roraima.

Conforme revelaram os resultados das urnas, o PSDB e o DEM ampliaram o número de governadores. Atualmente, seis chefes do Executivo nos estados são tucanos: Yeda Crusius (RS), Alberto Goldman (SP), Leonel Pavan (SC), Anastasia, José Anchieta Junior (RR) e Teotônio Vilela Filho (AL). O Democratas não tem nenhum candidato.

Aécio

Em Belo Horizonte, o senador eleito, Aécio Neves, divulgou uma nota destacando que “do ponto de vista político, o PSDB sai das eleições maior do que entrou”. Ele também fez questão de enfatizar que o candidato tucano “José Serra teve um excepcional desempenho”. E, “representou com altivez e correção, valores éticos importantes do nosso povo”.

Aécio disse ainda desejar “que a presidente eleita Dilma Rousseff honre os compromissos assumidos com a população, realize uma gestão republicana e que seu governo tenha como marca a união”.

Leia também: PSDB tem o maior número de governadores eleitos

Fonte: Agência Tucana

Aécio Neves divulga nota

novembro 1, 2010

Confira nota divulgada na noite deste domingo, dia 31 de outubro, pelo ex-governador e senador eleito, Aécio Neves (PSDB):

“José Serra teve um excepcional desempenho durante toda a campanha eleitoral. Venceu obstáculos importantes e representou, com altivez e correção, valores éticos importantes do nosso povo.

O PSDB se orgulha do candidato e das propostas que apresentou ao País. Estou certo de que, com o tempo, ainda mais brasileiros vão ter consciência do importante papel desempenhado por ele nesse pleito.

Ao contrário do que pode parecer para muitos, o resultado de uma eleição não se resume a quem venceu e a quem perdeu.

Há o resultado político e o resultado eleitoral que nem sempre têm o mesmo  significado.

Muitas vezes, tão importante quanto o resultado em si, é em nome do que se vence e em nome do que se é derrotado.

Ao defender os valores democráticos e éticos, ao criticar o aparelhamento da máquina pública, o PSDB se transformou na voz de setores importantes da nossa sociedade, que levaram as eleições presidenciais para o 2º turno.

Nesse sentido, do ponto de vista político, o PSDB sai das eleições maior do que entrou. E isso é bom para o Brasil.

Desejo que a presidente eleita Dilma Rousseff honre os compromissos assumidos com a população, realize uma gestão republicana e que seu governo tenha como marca a união. Que seja, sobretudo, generoso para com todos os brasileiros.”

Aécio Neves – senador eleito por Minas Gerais.

 

Governador Anastasia fala sobre o resultado das eleições

novembro 1, 2010

Foto Wellington Pedro / Imprensa MG

Logo após a divulgação dos resultados da eleição presidencial, na noite deste domingo, dia 31 de outubro, o governador reeleito Antonio Anastasia (PSDB) falou aos jornalistas  no Palácio das Mangabeiras. Ouça entrevista:

O governador estava acompanhado do vice-governador eleito, deputado Alberto Pinto Coelho, e deputado federal Rodrigo de Castro, secretário-geral do PSDB, que também falou à imprensa. Confira entrevista:

Abaixo, leia transcrição da entrevista do governador Antonio Anastasia

(more…)

Grande mobilização reúne 15 mil pessoas em apoio a José Serra em Belo Horizonte

outubro 30, 2010

Fotos Leo Drumond

Cerca de 15 mil pessoas receberam na manhã deste sábado, dia 30, nas ruas de Belo Horizonte o  candidato à Presidência da República, José Serra. Com bandeiras e balões amarelos e azuis, os mineiros fizeram uma grande carreata em apoio ao candidato, que começou na Praça do Papa e terminou na Savassi em uma festa democrática.

Ao lado dos senadores eleitos Aécio Neves e Itamar Franco, do governador reeleito Antonio Anastasia e do vice-governador Alberto Pinto Coelho, José Serra foi saudado pelos mineiros durante todo o percurso de cinco quilômetros da carreata e reuniu milhares de pessoas na Praça da Savassi, onde ouviram a execução do Hino Nacional e assistiram à exibição em telão de depoimento gravado pelo jurista Hélio Bicudo em defesa das liberdades democráticas.

A mobilização começou na Praça do Papa, um dos principais cartões postais de Belo Horizonte, onde centenas de veículos foram decorados com balões, bandeiras e adesivos de José Serra. Na Praça Milton Campos, José Serra foi recebido de forma calorosa por milhares de pessoas. Uma multidão acompanhou a pé a carreata até a Savassi.

José Serra, Aécio Neves e Antonio Anastasia, em carro aberto, cumprimentaram os eleitores que demonstraram muito entusiasmo na reta final das eleições. Serra agradeceu aos mineiros e deu um abraço emocionado no governador Aécio Neves.

No segundo turno das eleições, José Serra participou de dois grandes encontros com prefeitos e lideranças políticas em Belo Horizonte e ainda visitou, nesta semana, os municípios de Uberlândia e Montes Claros.

Grande carreata encerra, em BH, campanha de José Serra

outubro 30, 2010

Uma grande mobilização foi realizada neste sábado, dia 30, em Belo Horizonte, no último evento da campanha de José Serra à presidência da República. Ao lado do senador eleito Aécio Neves, do governador reeleito Antonio Anastasia e do senador eleito Itamar Franco, José Serra participou de carreata acompanhado de uma multidão. A carreata teve início na Praça do Papa, um dos principais cartões postais da capital mineira e seguiu, até a Praça da Savassi, onde foi encerrada com a execução do Hino Nacional.

Veja algumas fotos:

Fotos Leo Drumond

BH encerra campanha de Serra com evento “Minas é Serra pelo Brasil”

outubro 29, 2010

O último grande evento da campanha de José Serra à presidência do Brasil será realizado em Belo Horizonte. Será a carreata “Minas é Serra pelo Brasil” que acontece neste sábado, dia 30, com a presença do candidato Serra, do governador Antonio Anastasia e dos senadores eleitos Aécio Neves e Itamar Franco.

A concentração será na Praça do Papa, às 8h30.
 
Quem quiser acompanhar a carreata a pé, pode se concentrar, a partir das 9h30, no cruzamento das avenidas Afonso Pena e Contorno, para esperar os carros que estarão descendo a avenida Afonso Pena.
 
Depois, todos vão seguir, de carro ou a pé, pela avenida do Contorno até à rua Cristovão Colombo, na Savassi.

O evento contará com a participação de ciclistas, skatistas e artistas que farão performances com tambores. O encerramento acontecerá na Praça da Savassi com execução do Hino Nacional e apresentação de músicas e vídeo com fala do jurista Hélio Bicudo.

Participe você também! Vamos juntos, somos muitos  
 
Evento: Grande carreata e caminhada em BH “Minas é Serra pelo Brasil”
Data: 30/10/10 – sábado
Concentrações: Praça do Papa, às 8h30 / 9h30, no cruzamento das avenidas Afonso Pena com Contorno para quem vai acompanhar a pé

Com prefeitos do Norte de Minas, Serra reafirma compromisso em desenvolver o semiárido

outubro 28, 2010

Em Montes Claros, Serra participa ao lado de Aécio, Anastasia e Itamar de grande encontro com prefeitos e lideranças políticas. Fotos Marcus Desimoni

O candidato a presidente José Serra encerrou a agenda de campanha em Minas Gerais, nesta quinta-feira, em grande ato político realizado pelos mineiros em Montes Claros (Norte de Minas), em apoio à sua candidatura. Ao lado do senador eleito Aécio Neves, do governador reeleito Antonio Anastasia, do senador eleito Itamar Franco, de parlamentares, 60 prefeitos da região, vice-prefeitos e vereadores e eleitores, José Serra assumiu compromissos com o desenvolvimento da região do semiárido mineiro formada por 120 municípios do Norte de Minas e Vales do Jequitinhonha e Mucuri.

“Entreguei ontem em Recife 20 linhas de ação para esta região e o conjunto do semi-árido brasileiro, na procura definitiva da superação do subdesenvolvimento, dos nossos problemas sociais, e criar empregos. Vamos levar o salário mínimo para R$ 600, vamos reajustar a aposentadoria do INSS em 10% e vamos reforçar o bolsa família nessa região”, afirmou o candidato.

José Serra garantiu aos prefeitos presentes no encontro que, eleito, não permitirá contingenciamento dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), como no atual governo, o que tem impedido os prefeitos de realizarem investimentos sociais na maioria das cidades de todo o país. Serra pediu o votos dos mineiros e o apoio das lideranças para levar as suas propostas aos eleitores indecisos.

“Não haverá mais garfada no Fundo de Participação dos Municípios. Quem é prefeito sabe o que tem enfrentado. O importante agora é ganhar a eleição e ganhar o voto de alguém mais. É dizer às pessoas porque é importante a nossa vitória no domingo. A nossa vitória é importante para o povo brasileiro”, afirmou José Serra.

Mais desenvolvimento para regiões pobres
No encontro com as lideranças políticas, Aécio Neves afirmou que o Norte de Minas, o Vale do Jequitinhonha e o Vale do Mucuri tem sido prioridade dos programas sociais do Governo de Minas. Nos últimos oito anos, essas regiões mais pobres do Estado receberam duas vezes mais investimentos que as regiões mais desenvolvidas.

“A prioridade do Governo Anastasia será a prioridade do Governo Aécio, é o Norte de Minas, Jequitinhonha, o Mucuri, recebendo mais investimentos do que todas as outras regiões. Para nossa vitória ser completa, domingo é Serra, vamos arregaçar as mangas, dobrar o voto do eleitor indeciso, trazer mais um aliado para o Serra, porque para Minas Gerais a vitória de Serra é fundamental”, afirmou Aécio Neves em discurso.

O governador reeleito Antonio Anastasia agradeceu os votos recebidos no Norte de Minas no primeiro turno das eleições e afirmou que as lideranças da região estão empenhadas na campanha de José Serra que assumiu compromissos importantes com o desenvolvimento da população.

Serra assumiu compromissos em colocar adiante aquilo que é fundamental para criarmos empregos, infraestrutura, universidades e mais desenvolvimento aos municípios”, afirmou o governador durante discurso.

Em Montes Claros, Serra, Aécio, Anastasia e Itamar ainda fizeram carreata pelas ruas do Centro da cidade visitaram a residência da líder comunitária Dona Zizi, importante mobilizadora da campanha de Serra na cidade.

Anastasia, Serra e Aécio com a líder comunitária Dona Zizi

José Serra é recebido com entusiasmo por eleitores em Uberlândia

outubro 28, 2010

O encontro pró-Serra aconteceu no Uberlândia Clube. Fotos Leo Drumond

“Em Minas temos aliados e parceiros que valem ouro na política brasileira”. Com esta afirmação o candidato a presidente José Serra abriu o grande ato político que marcou sua agenda de campanha, nesta quinta-feira, dia 28, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Ao lado do governador reeleito Antonio Anastasia e dos senadores eleitos Aécio Neves e Itamar Franco, Serra reuniu centenas de eleitores e as mais expressivas lideranças políticas da região, entre elas o prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, o ex-governador de Minas Rondon Pacheco e 25 prefeitos, além de deputados estaduais e federais.

“Minas é um estado que é o eixo político brasileiro e o eixo econômico. Para ganhar uma eleição no Brasil é preciso ter Minas do lado. Para governar o Brasil é preciso ter Minas do lado. E para a nossa economia, para nossa política e para o nosso desenvolvimento, Minas é fundamental”, afirmou José Serra, destacando as presenças do ex-presidente Itamar Franco, de Aécio Neves e Antonio Anastasia.

José Serra reiterou seus compromissos de, eleito, apoiar investimentos nas áreas de infraestrutura viária, saúde e segurança pública para o desenvolvimento do Triângulo Mineiro e de todas as regiões do Estado.

“Precisamos duplicar as estradas de Minas para o Centro-Oeste e para São Paulo. Aqui precisa chegar gás para impulsionar mais a industrialização. Essa é uma região próspera e, um mínimo de alavanca do governo federal em parceria com o governo do Estado, ela vai decolar mais ainda e ser um exemplo para o Brasil. Para isso, o Triângulo precisa ser apoiado. Minas precisa avançar mais na saúde que precisa de apoio do governo federal e na segurança para combater as drogas”, afirmou em entrevista concedida durante o encontro.
 
Compromisso com os mineiros
O ex-governador e senador eleito Aécio Neves convocou os mineiros a sair às ruas e redobrar os trabalhos até domingo em apoio à eleição de Serra. Ele destacou que os brasileiros já compreendem que eleição presidencial deve ser vencida pelo candidato mais preparado para governar o País.

“Nós mineiros somos um povo de fé, um povo que acredita que defendendo as nossas convicções, vamos ajudar o Brasil a prosperar. A maior contribuição que Minas pode dar a esse novo Brasil é somando a Serra nas ruas, nos bairros, nas cidades desse maravilhoso Estado. Há uma movimentação silenciosa de Norte a Sul deste país que está compreendendo que numa eleição presidencial não se trata de homenagear A ou B, numa eleição, temos de votar no melhor, e o melhor todos sabem é José Serra. Melhor para Minas e melhor para os brasileiros. Fica o meu apelo a cada um dos eleitores. Vamos nos multiplicar. Vamos redobrar os nossos esforços e vamos fazer em Minas Gerais mais uma vez grande virada para termos o Serra o futuro presidente da República”, disse Aécio Neves.

O ex-governador Aécio Neves afirmou ainda que Minas dará uma grande contribuição para a votação de José Serra, assim como outros importantes estados brasileiros.

“Minas reflete o sentimento do país. Somos a síntese do Brasil. Temos um grande Nordeste, como tem o Nordeste brasileiro, temos a região próspera do Triângulo e o Sul de Minas, como tem o Brasil. Estamos lutando muito para que Serra tenha um resultado ótimo em Minas Gerais”, afirmou.

Aécio concluiu reiterando que, eleito presidente da República, Serra honrará os compromissos assumidos com Minas e com o governador reeleito Anastasia.

“Vamos retribuir com muito trabalho, com seriedade e dedicação, o extraordinário apoio e a vitória que tivemos em Minas com Anastasia. Nossa vitória só será completa quando no dia 31, Minas e o Brasil disserem: Serra é o novo presidente da República. Serra é quem tem compromissos claros e objetivos com Minas e será o grande parceiro do governador Antonio Anastasia na caminhada a partir de janeiro”, afirmou.
 
Mais obras para Minas
Em seu discurso, o governador Anastasia pediu o voto dos mineiros para Serra. Ele reafirmou as propostas apresentadas pelo candidato durante a campanha serão cumpridas, como a ampliação do metrô de Belo Horizonte e a duplicação da BR-381, conhecida como rodovia da morte e cujas obras são prometidas pelo governo federal há oito anos sem sequer serem iniciadas.

José Serra é o mais preparado, experiente, dinâmico e empreendedor e vai trabalhar muito ao nosso lado. Minas precisa de Serra na Presidência porque ele já assumiu compromissos quando entregamos para ele uma agenda de Minas para o Brasil implementar. Não tenho a menor dúvida em afirmar que para Minas é fundamental termos José Serra como presidente”, afirmou o governador.

Após o ato político, uma pausa para um cafezinho no tradicional Real Café

As bondades fiscais feitas pelo governo federal estão cobrando seu preço

outubro 28, 2010

Em Belo Horizonte, Serra garantiu que não dará nenhum incentivo fiscal sem que haja a reposição aos municípios. Foto Emmanuel Pinheiro

Os municípios brasileiros vivem hoje uma situação de penúria. Trata-se de um problema disseminado por todo o país. O pomo da discórdia é a queda dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). As bondades fiscais feitas pelo governo Lula para enfrentar a crise econômica estão agora cobrando seu preço e apresentando a fatura ao guichê dos prefeitos.

As principais medidas adotadas pelo governo federal para atenuar os efeitos da recessão de 2008/2009 afetaram diretamente os municípios, sobretudo os mais pobres. Com o corte de alíquotas do IPI de produtos como automóveis e eletrodomésticos, caíram também os repasses constitucionais feitos por meio do FPM. Quem mais sofre são os pequenos municípios, que se vêem agora em sérios apuros.

Segundo a Confederação Nacional dos Municípios, até setembro os repasses do FPM às prefeituras somaram R$ 36,8 bilhões. Descontada a inflação, estão menores do que foram em 2009, ano mais agudo da crise. Quando a base de comparação é o exuberante ano de 2008, a queda é muito mais expressiva: 9%. Em moeda sonante, são R$ 3,5 bilhões a menos no caixa dos municípios nestes nove meses. Um rombo e tanto.

A parcela relativa ao segundo decênio de outubro acaba de ser repassada aos municípios e novamente frustrou as prefeituras. Com isso, falta dinheiro para tudo: da merenda ao medicamento, passando pelo combustível das ambulâncias e pela limpeza urbana. O pagamento do 13º salário de milhares de servidores municipais neste ano está ameaçado. A situação tem avivado o descontentamento de prefeitos com o governo federal.

Dois terços dos R$ 24,9 bilhões renunciados pela Receita Federal em 2009 foram concedidos com base em tributos compartilhados pela União com estados e municípios – caso do IPI, do imposto de renda e da Cide. O governo federal prometeu recompor as perdas. Mas, depois de muito cobrar e passar o pires em Brasília, quanto os prefeitos obtiveram como compensação de Lula? Quase nada.

O problema é que 80% dos municípios brasileiros sobrevivem sem receita própria. São, portanto, totalmente dependentes dos repasses constitucionais; não conseguem dar um passo sem eles. Mas, mesmo sufocados pelo poder central, os maiores municípios respondem por parcela preponderante dos investimentos públicos diretos executados no país.

Em 2008, a União investiu 0,53% do PIB; os estados, 0,77%; e os municípios, 0,88%. Ou seja, enquanto o governo federal respondeu por 24% do total investido, os demais entes foram responsáveis por 35% e 40%, respectivamente. Quem, de fato, sustenta a agenda de crescimento do país?

A revisão das atribuições dos entes federativos é central na agenda de estados e municípios. A União, porém, se faz de morta, deitada no berço esplêndido do naco de tributos que lhe cabe. Quase 70% de tudo o que pagamos de impostos e contribuições – e que na terça-feira alcançou a marca de R$ 1.000.000.000.000,00 – fica em Brasília.

O PSDB já se comprometeu com a recomposição da saúde financeira e a independência dos municípios. O candidato tucano, José Serra, reforçou há duas semanas, em Minas Gerais, compromisso de não transferir para as prefeituras os ônus das medidas que seu governo vier a adotar: “Minha proposta é que não seja dado mais nenhum incentivo (fiscal) sem que haja automaticamente a reposição aos municípios”.

O tucano também já garantiu que irá regulamentar a emenda constitucional nº 29, que define a participação de União, estados e municípios nos gastos em saúde. A medida foi aprovada em 2000 com amplo acordo suprapartidário capitaneado por Serra, então ministro da Saúde. Depende, porém, de legislação infraconstitucional, que vagou no Congresso ao longo de todo o governo Lula sem que o PT se empenhasse em aprová-la.

Num ano em que o PIB brasileiro pode alcançar crescimento formidável, a situação nos rincões do país é de aperto e desesperança. Os louros do sucesso, a gestão petista colhe; deixa pelo caminho os ônus de suas políticas econômicas desconexas. É mais uma marca da gestão Lula: amealhar benesses com o chapéu alheio para depois pôr os súditos de joelhos, na rua da amargura.

Fonte: Agência Tucana