Anastasia destaca políticas do governo mineiro para ampliar a oferta de gás natural

Em Ouro Fino, Antonio Anastasia garantiu que o governo do Estado irá manter os investimentos na construção de gasodutos em todas as regiões de Minas. Foto Rodrigo Lima

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, destacou nesta quarta-feira, dia 29, o compromisso do Governo de Minas com o desenvolvimento de novas fontes de energia. Hoje, a Gasmig, subsidiária da Cemig, iniciou as operações da segunda etapa do gasoduto do Vale do Aço, ligando os municípios de Ouro Branco (Região Central) e Belo Oriente (Vale do Rio Doce), beneficiando a região que concentra grandes siderúrgicas. Para os próximos anos, Antonio Anastasia reiterou o compromisso em ampliar a rede de gasodutos em todo o Estado, que deverá ganhar impulso com a descoberta de gás natural na Bacia do São Francisco, em Morada Nova de Minas.

“Nós inauguramos o gasoduto que atende o Vale do Aço, vai até à Cenibra, em Belo Oriente, e vai se desdobrar daqui a pouco para Governador Valadares, uma região que precisa de energia. Aqui no Sul de Minas, já inauguramos o gasoduto a Poços e Andradas. Vamos estendê-lo até Pouso Alegre. Descobrimos gás mineiro agora em Morada Nova e daqui a pouco tempo, teremos gás mineiro com gasodutos, para a Região Metropolitana, para o Norte e para o Triângulo, já que Uberaba também terá o seu gasoduto. O gás hoje é o combustível barato, ecológico, correto e que vai permitir uma fonte importante de energia para as empresas mineiras”, afirmou Antonio Anastasia, em entrevista na cidade de Ouro Fino (Sul de Minas).
 
Nova Fronteira Econômica
A expansão da rede de gasodutos por Minas Gerais ganhará um novo impulso, a partir da descoberta de gás natural na Bacia do São Francisco. A descoberta de gás natural em Morada Nova de Minas (Região Central) foi anunciada oficialmente no início deste mês. A expectativa é que o início da oferta do produto atraia para Minas empresas de diversos setores da indústria petroquímica, química e siderúrgica, que têm o gás como um insumo importante para a produção. A descoberta do gás na região Central de Minas decorre de um esforço empreendido pelo ex-governador Aécio Neves para que a exploração de gás no São Francisco ocorresse depois de décadas de estudos iniciados na área.

A perfuração do poço em Morada Nova de Minas foi iniciada no último dia 22 de julho e atingirá, em um prazo de 60 dias, a profundidade de 2.500 metros. A descoberta dos primeiros indícios da existência de gás natural ocorreu no último dia 27, a uma profundidade de 1.440 metros com queima de gás natural na superfície em teste de formação.

Além do desenvolvimento econômico, Minas Gerais poderá contar com uma nova fonte de receita, a partir dos royalties pagos pela exploração do gás natural. O empenho para desenvolver a exploração do gás da Bacia do São Francisco contou com a participação da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig). A companhia é uma das sócias do consórcio Cebasf, com 49% de participação, responsável pelo Bloco SF-T-132, onde foi efetuada a descoberta.
           

Vale do Aço
O gasoduto do Vale do Aço contou com investimentos da ordem de R$ 700 milhões, ligando os municípios de Ouro Branco (Região Central) e Belo Oriente (Vale do Rio Doce), passando ainda por Ouro Preto, João Monlevade, Timóteo e Ipatinga, entre outros municípios. A próxima etapa é a expansão do duto até Governador Valadares, em um trecho de mais 70 quilômetros. O processo de licitação para o projeto executivo já foi iniciada e a expectativa é que este ramal esteja concluído até o final de 2012.

O Gasoduto do Vale do Aço tem 331 quilômetros de extensão e as obras foram divididas em duas etapas. A primeira, com 53 quilômetros de rede, liga São Brás do Suaçuí a Ouro Branco e se encontra em operação desde 2006, atendendo também aos municípios de Conselheiro Lafaiete, Congonhas, Ouro Branco e parte de Ouro Preto. A segunda etapa, de Ouro Branco a Belo Oriente, tem 278 quilômetros. As obras geraram cerca de dois mil empregos.

O empreendimento tem capacidade para o transporte de 2,4 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia e garantirá maior competitividade à região, que concentra algumas das principais empresas dos setores de mineração, siderurgia, celulose e papel. A oferta de gás natural possibilitará também uma matriz energética mais competitiva, com benefícios à toda a economia do Vale do Aço. Além de ser mais econômico, o gás natural é menos poluente, apresentando baixa emissão de resíduos tóxicos, o que contribui para a melhoria da qualidade do ar e pode ser utilizado também por outras empresas dos segmentos da indústria, comércio, além do consumo residencial e como combustível para automóveis.

A Cenibra, uma das maiores fabricantes de celulose branqueada de eucalipto, matéria-prima utilizada na produção de papel, será uma das empresas da região a utilizar o gás natural como fonte de energia. O empreendimento também tem entre seus principais clientes a Arcelor Mittal (João Monlevade), Arcelor Mittal Inox (Timóteo) e a Usiminas (Ipatinga).

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Sergio Barroso, anunciou também que a Cemig, com interveniência do Governo de Estado, vai assinar acordo com a Petrobras, nos próximos dez dias, para construção de um gasoduto ligando São Carlos (SP) a Uberaba, o que viabilizará a implantação de uma fábrica de amônia na cidade do Triângulo Mineiro. Os investimentos totais para a construção do gasoduto e da planta industrial devem chegar a R$ 4,6 bilhões, dos quais R$ 600 milhões serão desembolsados pela Cemig e o restante pela Petrobras.
 
Expansão
Nos últimos oito anos, o volume de gás distribuído pela Gasmig quase dobrou, passando de 381,3 milhões de metros cúbicos em 2003, para 662,7 milhões de metros cúbicos neste ano. Além disso, a empresa mais que dobrou sua rede de distribuição, que alcançou neste segundo semestre de 2010 a marca de 800 quilômetros de extensão.  Mais de R$ 1 bilhão foram investidos na expansão da malha de gasodutos e volume de distribuição de gás natural.

A Gasmig está se preparando para ingressar no segmento de distribuição de gás natural para consumidores residenciais e pequenos comércios urbanos, iniciando a oferta por Poços de Caldas (Sul de Minas) e alguns bairros de Belo Horizonte. Os contratos de suprimento de gás a longo prazo com a Petrobras garantem o abastecimento do mercado atual e de toda a expansão planejada para Minas Gerais até o ano de 2026.

Apenas no primeiro semestre deste ano, a rede da Gasmig foi ampliada em  110 quilômetros com a conclusão do Gasoduto Sul de Minas que atende aos municípios de Jacutinga, Poços de Caldas, Andradas e Caldas. Essa rede, com capacidade para fornecer 25 milhões de metros cúbicos/mês à região, tem como principais clientes as indústrias de alumínio, mineradoras, cerâmicas e indústria de vidro (cristais).

Tags: , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: