Antonio Anastasia vai priorizar regionalização da saúde

Nos últimos oito anos, o Governo de Minas promoveu importantes investimentos em diversas áreas que resultaram em um salto de crescimento da economia do Estado e transformaram a vida da população. O esforço empreendido ao longo dos governos de Aécio Neves e Antonio Anastasia preparou Minas Gerais para receber novas empresas e gerar mais empregos para a população.

Minas desenvolve ações e programas referência em todo o país. O trabalho de Aécio e Anastasia é reconhecido por órgãos do governo federal e também internacionais. O Estado tem hoje o melhor desempenho do Brasil nas séries iniciais do ensino fundamental. De 2003 a 2009, Minas conseguiu reduzir em 22,4% a mortalidade infantil, e a taxa de internações por desnutrição nas regiões mais pobres caiu 55%.

Para os próximos quatro anos, o Plano de Governo do Antonio Anastasia assumiu 365 compromissos, que pretendem consolidar essas conquistas. O principal desafio na área da saúde é o investimento na melhoria da qualidade da atenção primária que é responsável por resolver mais de 85% dos problemas de saúde da população. O Governo de Minas priorizará a regionalização da saúde com investimento nos centros de atenção especializada e no fortalecimento dos hospitais regionais para garantir serviços de saúde mais próximos da população.

Conheça, abaixo, os resultados alcançados pelos governos Aécio Neves e Antonio Anastasia nos últimos anos e os compromissos assumidos por Anastasia na área da saúde para os próximos quatro anos.

Resultados alcançados pelo governo Aécio-Anastasia nos últimos oito anos

ProHosp – Os investimentos na modernização e melhoria do atendimento atingiram R$ 500 milhões, aplicados em 128 hospitais, por meio do Pro-Hosp;
 
Mortalidade Infantil – Minas reduziu a mortalidade infantil em 22,7% entre 2003 e 2009;
 
Desnutrição Infantil – A taxa de internação por desnutrição infantil no Grande Norte registrou queda de 55% no mesmo período;
 
Gestantes – Em 2009, 65% das gestantes atendidas pelo SUS em Minas fizeram sete ou mais consultas durante o pré-natal. Em 2003, apenas 48% das mulheres conseguia esse número de consultas;
 
Programa Saúde da Família – Minas tem 4.039 equipes do Programa Saúde da Família, maior número em atividade no país. As equipes são responsáveis pelo atendimento de 14 milhões de mineiros, o que representa cobertura de 71,4% da população, em 835 municípios;
 
Transporte – As equipes de PSF receberam 997 veículos do Governo de Minas;
 
Viva Vida – Já foram entregues 20 Centros Viva Vida de atendimento especializado a mulheres, gestantes e recém-nascidos na área de reprodução e sexualidade;
 
Leitos de UTI – O número de leitos de UTI no Estado saltou para 2.087 em junho deste ano. Em 2002, eram apenas 684 leitos de UTI, o que representa um acréscimo de 205%;
 
UTI Neonatal – Os leitos de UTI Neonatal aumentaram de 141 para 428 entre 2002 e junho de 2010, aumento de 203,5%;
 
Internações – As internações evitáveis diminuíram 5,06 pontos percentuais entre 2002 e 2009, passando de 38,2% para 33,14%. A queda representa economia anual de R$ 30 milhões de recursos públicos;
 
Postos de Saúde – Em Minas Gerais foram construídos ou reformados 1.634 postos de saúde, com investimentos que somam R$ 290 milhões;

Vacinação – Minas foi o primeiro estado a oferecer vacinação gratuita contra a meningite meningocócica C para população menor de 2 anos. Nenhum outro estado brasileiro disponibiliza o medicamento gratuitamente nos postos de saúde;
 
Medicamentos – A distribuição gratuita de medicamentos básicos produzidos pelo Estado quadruplicou, passando de 250 milhões de unidades/ano, em 2002, para 1 bilhão por ano a partir de 2005. Em 2009, a Funed bateu outro recorde e fechou o ano com 1,1 bilhão de medicamentos produzidos;
 
Farmácia de Minas – Foram construídas 67 unidades da rede Farmácia de Minas para distribuição gratuita de medicamentos. Cada unidade disponibiliza 146 tipos de medicamentos. Em 2003, eram apenas 40 tipos;
 
Investimentos – O Hospital de Pronto Socorro, João XXII, maior instituição do País especializada em traumas e queimados, recebeu recursos da ordem de R$ 27 milhões, em obras revitalização e reforma. Hoje o hospital conta com 104 leitos de UTI. Em 2005, eram 65 leitos;

Frota – Foram entregues 402 microônibus a 41 Consórcios Intermunicipais de Saúde do Estado. Além disso, o governo de Minas Gerais disponibilizou 15 caminhões para o transporte de lixo hospitalar. Os investimentos somam R$ 84,3 milhões do Tesouro do Estado.
 
Ambulâncias – Os municípios receberam 2.114 ambulâncias, com investimento de R$ 113 milhões.

Propostas de Antonio Anastasia para os próximos quatro anos

Hospitais Regionais – Construir novos Hospitais Regionais e expandir o ProHosp, consolidando 200 hospitais em todas as regiões do Estado;
 
Mortalidade Infantil – Reduzir a mortalidade infantil em Minas Gerais e implantar duzentos novos leitos de UTI neonatal;
 
Cartão Saúde – Implantar o Serviço de Registro Eletrônico em Saúde – Cartão Saúde – para integração das Redes de Atenção à Saúde do Estado. Todo cidadão poderá ser identificado em todas as unidades de saúde; 
 
Programa Saúde da Família – Ampliar o número de equipes do Programa Saúde da Família, de 4.039 para 4.663, por meio do estímulo à criação e manutenção de equipes de PSF em grandes aglomerados urbanos;
 
Unidades Básicas – Repassar recursos para a construção ou reforma de Unidades Básicas de Saúde em 560 municípios;
 
Transporte – Implantar o Sistema Estadual de Transporte em Saúde em mais 52 microrregiões, para garantir o deslocamento para atendimento nos hospitais e centros de atenção especializados regionais;
 
Viva Vida – Implantar e financiar Centros Viva Vida para o atendimento da população de mais 27 microrregiões de saúde e mais oito Casas de Apoio à Gestante;
 
Leitos Intermediários – Apoiar ações direcionadas ao funcionamento de leitos intermediários para suporte aos leitos de UTI, maternidades e unidades de urgência e emergência;
 
 Urgência e Emergência – Expandir a Rede de Atenção a Urgência e Emergência para todo o Estado. Serão mais 11 macrorregiões de saúde com organização dos serviços de atendimento à urgência e emergência, com implantação e custeio do Samu macrorregional;
 
Centros Mais Vida –  Criar mais 10 Centros Mais Vida em todas as macrorregiões do Estado. Além dos Centros, será criado um programa de incentivo às Instituições de Longa Permanência de Idosos (Ilpi), por meio de prêmio a ser distribuído anualmente, para melhorar a qualidade no atendimento à pessoa idosa;
 
Frota
– Substituir a frota de veículos (150 micro-ônibus) nas regiões onde o sistema já está em funcionamento; 
 
Farmácia de Minas
–  Expandir a rede de apoio da assistência farmacêutica, através do Programa Farmácia de Minas, com a instalação de novas unidades de atendimento em 453 municípios;
 
Hiperdia – Implantar mais 20 Centros Hiperdia (Sistema de Cadastramento e Acompanhamento de Hipertensos e Diabéticos), para reduzir fatores de risco e a mortalidade pela hipertensão arterial, diabetes, doenças cardiovasculares e doença renal crônica;
 
Canal Saúde – Ampliar o Canal Minas Saúde de 4.500 para 11.000 pontos, abrangendo todas as Unidades da Atenção Primária à Saúde instaladas nos os municípios do Estado e nas demais unidades do sistema.

Anúncios

Tags: , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: