Aliados de Anastasia criticam apropriação de projetos do Governo do Estado por oposição

Deputado Alberto Pinto Coelho, candidato a vice-governador da Coligação Somos Minas Gerais.

O candidato a vice-governador na Coligação “Somos Minas Gerais”, deputado Alberto Pinto Coelho, criticou nesta sexta-feira, dia 20, a nova tentativa de apropriação pelo candidato do PMDB da proposta de implantação do Cartão Saúde em Minas Gerais. O cartão já é parte do Sistema Estadual de Registro Eletrônico em Saúde que já está sendo executado no Estado, numa parceria da Secretaria de Estado de Saúde e com os secretários municipais de 835 dos 853 municípios mineiros.

“Infelizmente, os primeiros programas eleitorais confirmam a impressão dos mineiros do profundo desconhecimento que os candidatos da oposição têm sobre a realidade do Estado. Esse desconhecimento é tamanho que fez com que eles apresentassem, como novas, propostas já em execução no Estado, como o Cartão Saúde, apresentado como grande novidade e, na verdade, faz parte de um grande projeto em fase final em Minas”, disse o deputado.

Já o governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, afirmou que a estranheza é ainda maior se for considerado que a candidatura da coligação PMDB/PT é de oposição ao Governo Aécio/Anastasia e, ainda assim, prefere adotar as mesmas propostas.

“Causa certa estranheza, porque é uma candidatura de oposição ao governo, contra o nosso governo, contra o Governo Aécio e o Governo Anastasia. O Cartão Saúde já é em Minas Gerais um plano desenvolvido, licitado e está sendo implantado pela Prodemge. Nós já temos, depois de muitas consultas, com mais de 800 municípios, toda a concepção do programa realizada e o projeto já está em licitação”, afirmou o governador, após receber novo apoio das Centrais Sindicais, que reúnem 100 entidades de representação dos trabalhadores mineiros.

Além do Cartão Saúde, a candidatura do PMDB também já anunciou como novas outras duas propostas que, na verdade, já foram implantadas há alguns anos: o programa de apoio a hospitais regionais e a criação da Região Metropolitana do Vale do Aço (criada em 1998).

“Nós já temos vários hospitais regionais, sendo que um deles está quase pronto, em Uberlândia, e outros em execução, em licitação. E é uma proposta nossa, desde o primeiro momento, aumentar esta rede. Mas por outro lado, significa que eles, na realidade, no fundo, aplaudem nosso governo”, afirmou Antonio Anastasia.
 
Apoio de adversários ao Governo Anastasia
Para o ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado, a adoção pelos adversários de propostas já implantadas pelo Governo de Minas é a prova de que a gestão Aécio/Anastasia realizou uma boa administração no Estado. Aécio Neves também teve sua imagem utilizada indevidamente por outro adversário do governador durante programa eleitoral.

“Está ficando claro que muitos candidatos apoiam e aprovam nosso governo. Isso vai permitindo ao eleitor, de forma muito consistente, consolidar sua ideia, uma ideia que já existe: fizemos um governo muito bem avaliado em Minas. Quando vemos candidatos repetindo os nossos programas de governo, repetindo as nossas propostas, alguns candidatos usando até a nossa imagem, fico tentado até a fazer um grande chamamento. Já que todos gostam tanto de nosso governo, porque todos não nos ajudam a continuá-lo, apoiando Anastasia”, questionou o ex-governador.

Vale do Aço
Em relação à proposta de criação da Região Metropolitana do Vale do Aço, lançada pelo candidato do PMDB e apoiada pelo PT, o deputado Alberto Pinto Coelho chegou a ironizar o fato.

“Depois de achar que Salinas fica no Vale do Jequitinhonha, como demonstrou seu site de campanha, o candidato Hélio Costa dá mais uma demonstração de absoluta desinformação sobre o Estado de Minas Gerais ao dizer que vai criar a Região Metropolitana do Vale do Aço. Seus companheiros precisam ajudá-lo a conhecer melhor as coisas de Minas, pois essa Região Metropolitana já existe desde 1998”, afirmou o deputado.
 
Cartão Saúde
O Governo de Minas Gerais já investiu R$ 10 milhões no Sistema Estadual de Registro Eletrônico, por meio da Prodemge, sob a coordenação de gestores em saúde. Ao longo dos últimos anos, os profissionais trabalharam na construção das bases para funcionamento do cartão, que registrará em uma única fonte de dados todas as informações médicas de cada cidadão que utilizar a rede pública.

O processo de compra dos cartões já passou por todas as consultas públicas exigidas por lei e está em fase de licitação. Para o Orçamento de 2011 já estão aprovados R$ 60 milhões destinados à compra dos cartões, que serão enviados às secretarias municipais de saúde dos 835 municípios que já aderiram ao sistema.
 
Hospitais Regionais A proposta de ampliar o Pro-Hosp já faz parte do plano de governo de Antonio Anastasia. O Pro-Hosp, implantado em 2003, foi o programa criado para que o Governo de Minas pudesse aplicar recursos do Tesouro do Estado nos hospitais regionais que atendem pelo SUS, com o objetivo de tornar os serviços hospitalares mais eficientes e com maior qualidade do cidadão.

O Pro-Hosp já atendeu 128 hospitais regionais em 112 municípios mineiros. De julho de 2003 até dezembro de 2009, os investimentos aplicados nos hospitais totalizaram cerca de R$ 460 milhões. Até o final de 2010, serão destinados cerca de R$ 110 milhões aos hospitais regionais contemplados pelo programa.

Anúncios

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: