Anastasia quer levar ao interior capacitação profissional de catadores de materiais recicláveis

Durante o encontro, as entidades entregaram a Antonio Anastasia uma pauta de sugestões para o plano de governo do candidato à reeleição. Foto Rodrigo Lima

O governador Antonio Anastasia afirmou hoje que, reeleito, levará para as cidades do interior de Minas Gerais os programas de capacitação profissional de catadores de materiais recicláveis desenvolvido pelo Governo do Estado. O modelo será o mesmo desenvolvido no Centro Mineiro de Referência em Resíduos, implantado em Belo Horizonte, pioneiro no Brasil como núcleo de projetos voltados para o consumo consciente e a reciclagem de resíduos. O foco principal é a participação de jovens em ações para a melhoria da qualidade ambiental e a geração de trabalho e renda.

O compromisso foi assumido em reunião nesta sexta-feira, dia 30, na capital, com representantes de 48 entidades de trabalhadores que vivem da reciclagem de resíduos e também de grupos de defesa dos moradores de rua de 40 municípios de todas as regiões de Minas. Durante o encontro, Antonio Anastasia também recebeu documento com propostas das entidades.

“O primeiro passo é o processo vigoroso de qualificação profissional. Já temos isso com o Centro Mineiro de Referência em Resíduos, na capital. Temos que estender ao interior essa experiência, que são cursos permanentes de formação que permitem que cada vez mais os catadores tenham renda. Eles podem não ter o emprego formal de carteira assinada, mas têm dignidade, têm trabalho, são produtivos e têm uma colaboração muito efetiva na questão ambiental. O primeiro passo fundamental seria esse, e depois discutir também questões que foram aqui faladas, como segurança pública, educação e saúde”, disse o governador Antonio Anastasia.

Em Minas Gerais existem 101 associações de catadores de materiais recicláveis, em 116 municípios. Essas associações representam 20 mil catadores. No Brasil, estima-se que existam entre 600 mil e 800 mil catadores, sendo que 81 mil deles estão ligados ao Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis.
 
Qualificação profissional
Desde 2008, 339 estudantes do ensino médio da rede pública estadual concluíram o curso de Gestão e Negócios de Resíduos, inédito no Brasil, oferecido pelo Centro Mineiro de Referência em Resíduos. Em agosto, mais 70 pessoas se formam. No ano passado, outro projeto do Governo de Minas, a Usina do Trabalho, também qualificou 280 catadores de 15 municípios.

O Centro Mineiro de Referência em Resíduos entregou 318 equipamentos, para associações e cooperativas de 56 municípios. Os equipamentos foram financiados com recursos do Governo de Minas e somam R$ 633 mil. O Centro apoia, também, prefeituras em projetos de coleta seletiva de lixo.
 
Lei Mineira inovadora
Outra inovação do Governo de Minas foi a Lei 18.031, instituída em 2009. Ela define a política estadual de resíduos sólidos, reunindo normas sobre o assunto em um único texto legal. Entre outros pontos, a lei estabelece para os entes públicos a obrigação de editar normas com objetivo de dar incentivo fiscal, financeiro ou de crédito para programas de gestão integrada de resíduos, em parceria com organizações de catadores de material reciclável. Para os representantes dos catadores, o governador Antonio Anastasia reúne as qualidades para dar seguimento às políticas estaduais criadas para atender este segmento.

“O Aécio Neves sempre deu suporte para a nossa classe. Tanto que Minas foi o primeiro Estado a criar uma lei de resíduos sólidos. E acreditamos que o professor Antonio Anastasia vai dar continuidade às políticas, fazendo até mais”, disse Eduardo Pereira, da Associação dos Catadores de Papel de Bocaiúva (Ascabov).
 
Lixões
Entre 2007 e 2009, o Governo de Minas investiu R$ 15 milhões em ações visando a destinação correta do lixo. A meta é que 60% da população mineira seja atendida com disposição adequada de lixo até 2011. Hoje o percentual é de 46,8% da população.  Apenas em 2009 foram erradicados 93 lixões no Estado. A previsão é de que outros 11 sejam erradicados até o final do ano.

Para a diretora da Coperativa de Reciclagem e Trabalho de Itaúna (Coopert), Madalena Rodrigues, conhecida como Madá, as melhorias aparecem no trabalho e na qualidade de vida. “Quando o povo participa e o governador ouve a gente, tudo fica melhor”, afirmou. 

Durante o encontro em Belo Horizonte, o governador Antonio Anastasia assistiu à apresentação teatral “O Catavento” do grupo “Cara e Coragem”, formado por catadores de materiais recicláveis. Em seguida, Antonio Anastasia ouviu as reivindicações de representantes de vários movimentos, como o Fórum Estadual Lixo e Cidadania, Pastoral Nacional do Povo de Rua e Movimento Nacional dos Catadores.

“Cada vez mais, o governo precisa criar uma visão diferente desta parcela da população, que tem menos acesso às questões formais, como documentos e residência. É uma mudança de cultura. Já há passos favoráveis, mas temos que mudar muito ainda neste sentido”, ressaltou.

Anúncios

Tags: , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: