Governador Antonio Anastasia cobra agilidade do governo federal para duplicar a BR-381

No Vale do Aço, Antonio Anastasia lamenta a falta de prioridade com a rodovia mineira que mata 500 pessoas por ano. Foto Leo Drumond

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, cobrou hoje do governo federal agilidade no procedimento de duplicação da rodovia federal BR-381, conhecida como “rodovia da morte”. A duplicação da estrada, construída na década de 50, é uma das mais antigas reivindicações da população mineira que perde por ano, nessa rodovia, cerca de 500 vidas em 8 mil acidentes registrados com vítimas. O governador Antonio Anastasia lamentou a omissão das autoridades federais responsáveis pela autorização da obra, que classificou como questão de segurança e humanidade.

“Lamentavelmente, esse trecho não está sob a responsabilidade do governo estadual é responsabilidade do governo federal, que durante todos esses anos ficou omisso em relação a essa duplicação. Tenho dito publicamente como governador do Estado, em todas as ocasiões, que a maior prioridade de Minas, maior de todas, é a duplicação da BR-381 até Governador Valadares, por se tratar de uma questão de segurança e de humanidade, dado ao grande número de mortes que ocorrem”, disse o governador, nesta quinta-feira, dia 29, durante visita ao Vale do Aço.

Antonio Anastasia afirmou que o Governo do Estado, juntamente com a bancada federal no Congresso Nacional e os parlamentares estaduais, já levou ao governo federal o problema da rodovia BR-381, principalmente no trecho de 110 km entre Belo Horizonte e João Monlevade, considerado o mais perigoso da rodovia.“A bancada federal mineira juntamente com seus colegas parlamentares, com os deputados estaduais, todos com governo do lado, estamos empenhadíssimos em convencer o governo federal a fazer essa obra. Deus queira que se convença. Ontem mesmo, o governador Serra mostrava que 80% das rodovias federais em Minas estão em más condições. Então, temos que melhorar. As estaduais, que no passado eram ruins, não estão mais ruins, hoje. Então precisamos agora que o governo federal fique sensível a essas estradas”, afirmou.
 
Maior malha federal
Minas tem a maior malha rodoviária do país, com 34 mil km de estradas, sendo que apenas 26% delas são de responsabilidade da União. O trecho que liga Belo Horizonte ao Vale do Aço é o mais problemático. A maioria das mortes na região é por colisões frontais e poderiam ser evitadas se a rodovia tivesse, ao menos, pistas duplicadas. A situação tende a se agravar porque empresas instaladas no local já anunciaram planos de expansão. A BR-381 exerce influência em 56 cidades mineiras onde vivem mais de 6 milhões de pessoas.

Projeto do governo federal para duplicação da BR-381, de Belo Horizonte a Governador Valadares ainda não saiu do papel e a licitação só tem previsão de iniciar em 2011. Projetada para comportar fluxo médio de 500 veículos por dia, a BR-381, no Vale do Aço, registra atualmente a movimentação de 63 mil carros/dia. Único trecho duplicado da rodovia, entre Belo Horizonte e São Paulo, concluído em 2005, demorou sete anos para ser construído.

Anúncios

Tags: ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: