Para Azeredo, é difícil acreditar que Irã cumprirá acordo antinuclear

Senador Eduardo Azeredo - Foto Geraldo Magela/Agência Senado

Os membros da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado debateram, nesta terça-feira, dia 1º, o acordo antinuclear assinado pelo Irã com o apoio do Brasil e da Turquia. Para a audiência, foi convidado o Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, que explicou os termos do documento. O presidente da CRE, Senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), questionou o Chanceler sobre as garantias de que o Irã cumprirá o acordo. Amorim respondeu que, atualmente, não há condições de o país do Oriente Médio produzir uma bomba atômica, pois não dispõe de urânio enriquecido suficiente para isso.

“As explicações do Ministro foram importantes. Mas a interrogação permanece, pois o Irã tem histórico de não-cumprimento dos acordos internacionais”, avaliou Azeredo após a reunião. O Senador destacou ainda que as audiências são necessárias para que a CRE possa cumprir sua função de fiscalizar a política externa brasileira. “Estamos atentos para evitar excessos”, disse.

Saiba mais

Celebrado pelo Brasil como uma saída diplomática para a crise internacional com o Irã, o acordo foi criticado pelos Estados Unidos e por outras potências ocidentais, como a França, que o veem como uma estratégia usada pelo governo iraniano para protelar as possíveis sanções do Conselho de Segurança das Nações Unidas em razão de seu programa nuclear. Mesmo a Rússia e a China se mostram receptivas a sanções contra o Irã, desconsiderando os termos do pacto assinado com o Brasil pelo presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, pelo qual parte do urânio de seu programa nuclear seria enriquecida na Turquia. (Agência Senado)

Questão sobre o tráfico de drogas da bolívia ficou sem resposta

Durante a audiência pública desta terça-feira, o Chanceler Celso Amorim também foi questionado sobre o tráfico de drogas da Bolívia para o Brasil, mas não quis comentar a questão. Recentemente, o pré-candidato do PSDB à Presidência, ex-Governador José Serra, criticou o fato de que 90% da cocaína consumida no Brasil vem da Bolívia, provavelmente, com a conivência das autoridades do país vizinho. “Essa questão ficou sem uma resposta por parte do Ministro. Mas o PSDB continua atento, porque realmente, o tráfico de drogas, que gera insegurança e violência, é um dos principais problemas sociais que enfrentamos”, acrescentou Eduardo Azeredo.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Senador Eduardo Azeredo

Anúncios

Tags: , , , ,

Uma resposta to “Para Azeredo, é difícil acreditar que Irã cumprirá acordo antinuclear”

  1. edinei Says:

    “Amorim respondeu que, atualmente, não há condições de o país do Oriente Médio produzir uma bomba atômica, pois não dispõe de urânio enriquecido suficiente para isso.” Como o megalonanico sabe disso ? Se ele sabe por que ele não informa o quinteto permanente da ONU, que ignorou por completo a patuscada petista do tal acordo ?Dever ser que o companheiro Ahmadinejad contou a ele, e ele, claro acreditou. O Senador Azeredo deixou essa passar em branco ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: